sexta-feira, 26 de outubro de 2012

paitrilha

quando em meu caminho surgiu e te encontrei
inda repleto de fôlego na subida
refazendo a sinuosa trilha batida
por incontáveis passos, hoje bem sei

olhei à frente, atrás e ao astro-rei
e à tua fronte graciosa e pequenina
e a meu pai lá no alto, já em sua descida
e à tudo em volta daquela trilha e pensei

"quando pequeno tudo eram colores flores
hoje vejo só pedras, lhe causarão dores"
e pus-me a limá-las e plantar pela trilha

lembro então dos joelhos e mãos calejadas
de meu pai pelo espaço de sua jornada
e o que por mim fez faço por minha filha

2 comentários:

Karinna* disse...

*Pode parecer piegas, mas achei-o tocante, com um olhar bem característico teu, algo que desconstrói o leitor com sentimentos que se mesclam, para no final, construir-se novamente.
Aprecio essa 'área de desassossego' que tu nos coloca...
Um beijo da Ka*

Nilma Pessoa disse...

agradeço, Ka*

uma das minhas mais pessoais, fiz pensando no meu velho e até tive coragem de enviar pra ele por email. gostou :)

se procurou na web, já deve saber que o filho é um poeteiro de mão cheia... rs

bjK*