terça-feira, 25 de janeiro de 2022

.


aqui jaz Olavo 

diz a sepultura 

d'astros a loucura

tudo cubro e cavo


.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2022

domingo, 5 de dezembro de 2021

meta verso nessa veia
pois futuro é lirismo:
virtual, tudo permeia
sonho vivo com qual cismo

quarta-feira, 2 de setembro de 2020

 .

conhecer

o infinito espremido entre os dedos

a alegria da ingenuidade

o ocaso dos sonhos

a escritura geológica

o torpor que emana do passado

a solidão da esperança

o terror em incontáveis olhos

a visão enraizada no futuro

o desconhecido amanhã

a luz da manhã

.

terça-feira, 1 de setembro de 2020

 .

uma voz

enterrada escavei

narrativa de eras

perambula sonâmbula

à sombra de abismos 

e caminhos incertos

a mim destinados

meus ouvidos são abrigo

minha voz parte

.

segunda-feira, 31 de agosto de 2020

 


 .

amanhecer de silêncios

fendas no solo ressequido

em trégua d'água

passos que o futuro esqueceu

luz inclemente é riacho

inunda feridas expostas

entrega o vazio entre as

colocações coloquiais

leva sombras e as lava

conta histórias o vento

fecunda a derme de barro

depósitos entre os vãos

sonhos vãos sedimentados

.


quinta-feira, 27 de agosto de 2020

 fecho olhos

gavetas portas

insuportáveis rotas

traço persigo

sussurros abrigo

comigo acolho

pandemia letargia

noite e dia

acordo ontem

dirijo hoje

amanhã cubro

desculpas planos

perdas pedras

ergo ego